Dificuldade com a sexualidade?

mulher-pedindo-silencio

Dificuldade com a sexualidade?

Relatos sobre a dificuldade com a sexualidade feminina são muito comuns. A mulher ainda enfrenta muitos tabus. Aliado a isso há muito desconhecimento acerca de si mesma.

Até quando vamos suportar servir ao outro o tempo todo e negligenciar o que poderia nos fazer completa?

Um instante de reflexão, por favor.

Para reconstruir uma ideia, é necessário desconstruí-la, em primeiro lugar.

Por isso, faço esse convite à reflexão, para que você comece a repensar tudo o que aprendeu até agora sobre sua sexualidade.

Dificuldade com a sexualidade: um tabu

Desde que o mundo é mundo, nas mais diferentes sociedades e percepções do ser humano, a sexualidade é um tema envolto por tabus intermináveis.

Ao longo da história da humanidade, as sociedades criaram diversas normas e regras para estabelecer o que é um comportamento sexual aceitável.

Por isso, a visão moral do sexo, assim como a sua importância para cada pessoa ou grupo é algo completamente relativo. Dependendo da região geográfica, do período histórico e da cultura de cada povo, a atividade sexual carrega um significado específico.

Cabe a nós respeitar o olhar para o sexo de cada ser humano. O outro é o outro, mesmo que seja sexualmente conservador, ou naturalmente livre e desapegado ou mesmo quem decide se abster do prazer.

Mas independente do olhar cultural e da expressão de cada um para a sexualidade, uma coisa é fato inquestionável: o sexo é uma coisa natural e a dificuldade com a sexualidade está presente na maioria das pessoas em algum momento da vida.

Para os humanos, a vida sexual é muito mais do que a perpetuação da espécie. O prazer nos move. O ato sexual também exerce esse papel em nossas vidas.

O sexo é algo que move o ser humano e ocupa uma parcela muito grande de importância em sua vida.

Vamos falar sobre sexo sim!

 

Por isso, é tão importante falar a respeito do sexo. Assim, podemos expressar nossos sentimentos diante disso, da mesma forma como os aprendizados a partir da atividade sexual, e consequentemente, a capacidade de constante autoconhecimento.

Nosso Movimento Íntimo Feminino abre esse espaço para divulgar informação de qualidade e também ouvir as dores, curiosidades e pretensões a partir da vida sexual de cada mulher.

Sabemos o quanto a mulher se limita sexualmente e, na grande maioria das vezes, ela nem mesmo sabe de onde vem isso. Talvez tenha aprendido com a sua mãe, que aprendeu com a mãe dela e assim vai…

O fato é que nós estamos aqui, transbordando a vontade de viver, exatamente como a nossa expressão nos leva. Muitas vezes, a potência interior é reprimida e somos caladas inconscientemente.

A partir daí somos classificadas dos mais diversos rótulos, enquanto os homens são agraciados pela sua expressão sexual livre.

E aí, sem entender muito bem, optamos pela aceitação social e calamos a nossa fêmea ardente.

Acontece que não precisa ser assim, não somos obrigadas a viver dessa forma, com uma rolha que enfiaram em nossa garganta.

Vamos nos unir, nos informar e lutar para que possamos nos libertar dessa opressão de uma vez por todas.

A mulher e a dificuldade com a sexualidade

“Tenha modos, menina!”, dizia alguma figura conservadora para que a moça se colocasse em recato e silêncio.

Ainda na infância, ouvimos que temos que fechar as pernas. Como em um mantra imaginário, a genitália feminina seria um símbolo do pecado e, por isso, deveria estar sempre escondida.

Nos condicionaram a sentir vergonha da própria vagina para não passarmos por “sem vergonha” e perdermos a moral, por isso.

Então, chega o momento da nossa passagem de menina para a vida adulta. A tão esperada transformação de mulher que todas nós vivenciamos.

Essa é uma etapa complexa. Vamos para a primeira relação sexual com conhecimento quase zero da nossa intimidade. Por isso, não é atoa a quantidade enorme de mulheres com dificuldade com a sexualidade.

Lua de mel que mais se parece um calvário. Essa é a pintura de uma mulher perdida e que cai nos braços de um mundo machista. Da noite para o dia, ela põe nos ombros o peso de ter que ser uma excelente amante para ser validada como mulher.

Me desculpe o termo que uso agora, mas que sacanagem com a gente!

Temos que, praticamente, desconhecer a vagina e depois a gente tem que saber tudo. Que pressão!

Não é possível, de repente, entender tudo o que sempre nos foi negado: o conhecimento sobre o funcionamento do nosso corpo e os infinitos caminhos da nossa intimidade. O entendimento da sexualidade é um processo lento.

Assim sendo, a mulher se vê encurralada entre a falta de entendimento sobre si mesma e a culpa que sente por não conseguir ser validada como “boa de cama”.

Os muros da dificuldade com a sexualidade

É dessa forma que, desde a infância, vários muros de proteção vão sendo construídos em torno da mulher, o que a afasta completamente de sua plenitude sexual.

Na grande maioria das vezes, essa mulher é rotulada dos mais diversos enganos, como “fria”, “frígida” ou “assexuada”.

É claro que a sua busca por ajuda ginecológica e/ou psicológica para “consertar seu problema sexual” pode ter êxito, quando a dificuldade com a sexualidade se trata de algum distúrbio.

Mas se não há nenhum distúrbio, trauma ou bloqueio emocional, é preciso começar a ouvir a si mesma.

Quem sabe fazendo o reconhecimento do próprio corpo, você possa encontrar o caminho mais próspero para se tornar uma mulher livre, orgástica e conectada com a sua sexualidade?

O revolucionário Treino IS proporciona esse caminho a qualquer mulher que busca vibrar entre 4 paredes e se tornar autêntica em todos os sentidos.

#aureliaguilherme #movimentointimofeminino #treinois #tabu #tabudasexualidade #despertardaenergiasexual #ensinamentostântricos #pompoarismo #tantra #pompoar #energiasexual #sexualidade #meditação #ioga #alongamento #respiração #consciênciacorporal #conscienciacorporal #energiasexual #revolucionáriotis #treinois #inteligenciasexual #inteligênciasexual #assoalhopelvico #prazersexual #vagina #ppk #qualidadedevida #paixao #mulherpoderosa #empoderamento #bloqueiosexual #opressao #culpa #preconceito

Matérias Relacionadas

Revista

Mod. introdutorio

Capa-revista-top-secret-edicao-1
TOP SECRET

Top Secret – Ed.1

capa-revista-jornalista
Revista

edição especial top secret

casal-na-cama
Revista

Squirting: o esguicho do prazer

orquidea-clitoris
Revista

Clitóris bem estimulado

calcinha-preta
Revista

Estimular o ânus é cool

Sobre Mim
Aurélia Guilherme

Aurélia Guilherme

Uma jornalista que atua nas entrelinhas

mulher chateada